A mulher do batom vermelho.

Certa vez conheci uma mulher na balada. Vestido curto, tatuagem no ombro, batom vermelho e o copo de bebida na mão. Sabe aquele olhar de mulher safada? Aquela que você olha e já sabe bem o que ela veio fazer ali. Essa tinha exatamente esse olhar, o que para mim era perfeito, já que eu havia saído de casa naquela noite com o mesmo objetivo. Formulei algo engraçado para dizer na primeira abordagem. Ela sorriu. Conversamos por alguns minutos até que veio o convite para dançar. Mal sabia ela que eu era simplesmente irresistível nesse quesito. Depois de um ou dois copos aconteceu então o primeiro beijo. E que beijo! Tem gente que beija com a intensidade de quem faz compras de verduras no supermercado. Já outros são como um adolescente escolhendo o seu primeiro carro. Definitivamente ela era desse segundo grupo. Acreditem em mim, o beijo foi surreal. Daqueles com direito a mordida no lábio, puxão de cabelo, mão por dentro da camisa e lambida na orelha. De duas uma: ou eu era naquela noite o homem mais gostoso do universo ou aquela mulher tinha bebido o triplo do que eu bebi na minha vida inteira. Foi impossível parar de beijá-la durante toda a noite. Quando fui deixá-la em casa e me perguntou se gostaria de entrar eu não pensei duas vezes. Sim, foi sexo no primeiro encontro. A melhor noite de sexo da minha vida. Foi aí que descobri que o forte dela não era o beijo. Haviam habilidades ainda maiores. O sol chegou e nós ainda não tínhamos dormido. A vida correndo lá fora e eu ali ofegante, com aquela estranha deitada em meus braços. Antes de me despedir trocamos números de celular por mera formalidade. Todo mundo sabe que casais que vão para cama no primeiro encontro não tem como darem certo. Sabe, talvez se tivéssemos ido mais devagar as coisas poderiam ter sido diferentes. Quem sabe? Muitos anos já se passaram e aquela noite ainda não saiu da minha cabeça. Curioso como algumas pessoas passam pela nossa vida e nem se dão conta de que deixaram marcas profundas. Eu nunca mais vi a minha professora do primário, nem a minha namoradinha do curso de inglês, mas, a mulher que conheci naquela noite, nunca mais saiu da minha mente. Agora mesmo ela está ali na cozinha, preparando a lancheira que o nosso filho caçula leva para a escola. Depois vai vir aqui no escritório me dar um beijo igual àquele que ganhei na boate tempos atrás. De noite repetiremos mais uma vez nosso sexo selvagem. Não é de se espantar? A moça do vestido curto se tornou a mulher da minha vida. Eu não sei bem como vai acontecer com você. Se vai conhecer seu grande amor na fila do pão, na sua festa de formatura ou no acampamento da igreja. Eu não sei se vão se beijar no primeiro encontro ou se farão sexo só depois do casamento. O que eu sei é que não existe regra para tudo isso dar certo. Vejam vocês a minha história. A mãe dos meus filhos gosta de beber, tem tatuagem e é uma depravada na cama. Ao mesmo é uma mãe incrível e um esposa fiel, carinhosa e companheira. Nossa sociedade é mesmo repleta de normas e rótulos, felizmente a maioria deles não funciona o tempo todo.

Um dos melhores textos que já li ! #Valerepostar #compartilhar

Veja Mais

10 interessantes curiosidades sobre o clitóris

O corpo da mulher é algo fascinante – os homens que o digam – e até por ser capaz de abrigar vida humana dentro dele, sua sexualidade é, ao mesmo tempo, complicada e interessante. Por isso vale a pena descobri-la. E, muitas vezes, o clitóris é esquecido: um órgão pequeno, mas fundamental para gerar prazer às mulheres. Quer saber mais?

10 – É melhor para o orgasmo

Apesar de existirem os orgasmo vaginais, somente cerca de 30% das mulheres consegue ter um orgasmo por meio da penetração. O restante das mulheres que atingem orgasmo (nem todas chegam lá) precisam de algum tipo de estímulo direto do clitóris.

9 – O clitóris é maior do que parece

Marie Bonaparte fez uma cirurgia para mover o clitóris e assim deixá-lo mais perto da vagina. A intenção dela era chegar ao orgasmo facilmente por meio da penetração. No entanto sua ideia não funcionou porque ela não sabia que apenas um quarto do clitóris é visível e o restante é interno. A cabeça e uma espécie de capuz ficam fora do corpo. Técido erétil, glândulas, bulbos vestibulares e coluna estão dentro.

8 – É muito parecido com um pênis

Apesar de hoje você não poder imaginar, até os três meses de gravidez teu corpo tinha os mesmos genitais que os do sexo oposto. Por isso, o clitóris e o pênis têm a mesma origem, mas depois ficam diferentes. Inclusive, o comportamento é muito similar: fica ereto quando se excita. Porém, por sorte, não é visível e permite às mulheres não terem que medi-lo e compará-lo com o de suas amigas.

7 – Só serve para o sexo

Sim, é isso que você acabou de ler. O clitóris não tem outra função a não ser dar prazer sexual para a mulher. Apesar de as mulheres terem outros pontos de prazer, muitos deles têm outras funções. O clitóris, não.

6 – Todos são diferentes

Como tudo na natureza, há variedade. Há clitóris pequenos, grandes, mais ou menos escondidos. Alguns aumentam de tamanho quando a mulher está excitada, outros precisam de muito pressão para que isso aconteça. Por isso, é importante que as mulheres conheçam seu próprio corpo para que saibam a melhor maneira de receber prazer.

5 – Uma só palavra

A palavra clitóris vem do grego clitóris e significa “chave”. O mais curioso é que a palavra é praticamente universal, conhecida em qualquer país. Isso dá algumas vantagens ao viajar, não?

4 – Não envelhece

Já sabemos que as mulheres podem ter orgasmos múltiplos. E também sabemos que o clitóris é o principal ponto de prazer do corpo feminino. No entanto, não envelhece: uma vez que a mulher amadurece, o clitóris mantém sua sensibilidade pro resto da vida. Por isso, terá a mesma capacidade de chegar a um orgasmo aos 30 e aos 95.

3 – O cérebro estimula o clitóris

O orgasmo de uma mulher é produzido graças aos nervos de seis tecidos diferentes. Quando os impulsos nervosos do clitóris chegam ao cérebro se produz um orgasmo. Mas estas vias são diferentes em cada mulher e mudam segundo as etapas: gravidez, lactância e menopausa. Enquanto o córtex cerebral (nossa parte pensante) dificulta o orgasmo, à medida que fica perto do clímax o clitóris recolhe informação sensorial do córtex cerebral, do hipotálamo e do sistema nervoso periférico.

2 – A mutilação do clitóris é comum em certas culturas

A destruição ou mutilação do clitóris é uma prática lamentavelmente ainda comum em alguns países do mundo. Em alguns casos se costura e fecha a vulva, deixando um único furo para que saiam a urina e a menstruação. Geralmente estas práticas são feitas de forma insalubre, sem médicos, e podem levar a lesões e infecções. Em alguns casos, chegam a levar à morte. Isso é feito em culturas em que se considera que a mulher não deve ter prazer, tido como algo impuro.

1 – O clitóris se exercita

Mulheres que caminham todos os dias por 20 minutos melhoram sua capacidade de chegar ao orgasmo mediante a estimulação do clitóris. Caminhar aumenta a congestão genital de uma mulher em 168% e o efeito persiste por horas.

Conhecia alguma destas curiosidades sobre o clitóris? Quais outras curiosidades sobre sexo gostaria de saber?

Veja Mais

 

Júlia Telles

Um nome já conhecido e afamado nacionalmente. Atualmente palestrante oficial das maiores feiras do mercado erótico, entre elas: Erotika For Business, Intimi, Erotika Fair e Sexy Fair. Autoridade no assunto foi referência para entrevistas em grandes programas de rádio, tv e revistas como: Ludovica, Women´s Health, Veja SP, The Noite entre outros. Com o objetivo de ensinar o aprimoramento sexual entre vias de mão dupla no prazer, com a prática do pompoarismo. Júlia Telles vem obtendo grandes resultados por onde passa.